segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Mordeste-me a sério

Hoje acordei com espírito suficiente para dizer olá ao Mundo sem o ressentimento de este me mandar à merda. O dia corre-me de forma tão sóbria e tão simples que o meu estupidamente incrível sonho que tive contigo a nada se assemelha com o que hoje sinto.O sonho foi simples, estavas amarrada a uma cadeira, nua, numa sala completamente vazia. Pedias-me para te soltar, mas eu não via nada que pudesse utilizar para rasgar a fita adesiva que te prendia contra o aço da cadeira. Olhei para o chão atrás de ti e estava lá uma faca, uma faca posta lá de propósito, será? Peguei na faca e cortei a fita adesiva soltando-te, libertando-te. Agradeceste-me com um abraço quente e frio ao mesmo tempo, mostrando que naquele momento eu era útil e que me querias…peguei na tua mão decidido a acabar com toda aquela situação em que misteriosamente me tinha metido, quando sinto uma coisa ainda mais fria do que o teu abraço a entrar-me pelas costas,,,uma facada nas costas…uma facada nas costas?! Aí está o que se ganha…aí está o que se pode perder com aquilo que queremos ganhar. Virei-me para trás… …estavas a rir-te enquanto o meu sangue que tinha jorrado para a tua cara começava a escurecer,,,beijei-te uma última vez, beijei os teus lábios recheados de sangue, do meu sangue, e de saliva,,,como eu te queria matar naquele momento…depois, antes de acordar e de desatar aos gritos disseste-me: “está na hora de acordar, nenhum sonho dura tanto, nem mesmo os nossos”. Acordei…nunca tinha acordado assim,,,era assim que eu queria acordar todos os dias, sabendo que ao menos estavas lá, que ao menos me querias morto em vez de não me quereres de maneira nenhuma…

20 comentários:

  1. - DE nada .
    - Pastilhas ? Pôw, sempre +.+ !
    - Belo texto este $

    ResponderEliminar
  2. Obrigada pelos elogios ao meu blog (:
    O teu está muito bom, tens mesmo jeito *-*
    Vou seguir *

    ResponderEliminar
  3. obrigada pela tua sinceridade muito radical em relação ao que escrevo, simpático da tua parte (:
    deixa-me felicitar-te também, pois escreves muito bem; com muito sim e senão. é raro ver alguém (um rapaz) a expôr-se desta forma, mas é bom de ser ver.
    continua :D

    ResponderEliminar
  4. Já tinha passado por cá, mas não tinha começado a seguir, mas já que pediste eu sigo :b
    Em relação ao meu blog "brutal", não é nada de especial. Mas, obrigada :D
    Tu sim tens muito jeito para escrever, e eu adoro os teus textos. São excelentes (:

    Beijinho, Inês.

    ResponderEliminar
  5. Adoreii este texto :b
    Está mesmo muito bom! +.+

    ResponderEliminar
  6. Muito obrigado tb curti o teu, continua vais no bom caminho ;)

    ResponderEliminar
  7. talvez, um dia mais tarde escreva tão bem como tu :b

    ResponderEliminar
  8. Muito obrigado pelo comentário. :)
    Já te sigo. Continua assim :) *

    ResponderEliminar
  9. É um texto, deveras, curioso - continua.

    Só uma coisa: " e tão simples que o meu estupidamente incrível sonho que tive contigo "

    A parte que diz: 'estupidamente incrível' devia estar entre parênteses ou virgulas para uma fácil e compreendida leitura.

    Abraço :)

    ResponderEliminar
  10. ja segui (; nao te esqueças de seguir o meu ;b

    ResponderEliminar
  11. O amor transformado em desespero. Sentimento tão infrutífero.

    ResponderEliminar
  12. Volto cá mais logo, para ver isto com atenção! =D
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  13. as verdades são para serem ditas.
    De nada, mereces o valor :)

    ResponderEliminar
  14. escreves mesmo bem, parabens .
    fiquei fa do teu blog (:

    ResponderEliminar
  15. "Hoje acordei com espírito suficiente para dizer olá ao Mundo sem o ressentimento de este me mandar à merda."
    Adorei mesmo!

    ResponderEliminar