sábado, 31 de dezembro de 2011

note to myself

Chovia a potes lá fora e o vento queria cortar tudo à sua passagem. Ele estava em casa, sentado na cama com o cigarro prestes a acabar no canto direito da boca e com a guitarra nas mãos. Ela tinha ido à cozinha e disse que não demorava nada.
Os pingos de chuva batiam com tanta força na janela do quarto que ele, por momentos, deixou a folha onde estava a escrever a sua próxima música e olhou para as nuvens ameaçadoras que se iam aproximando...voltou para a folha e chupou com toda força o cigarro que insistia em se apagar...vem inspiração...
A música era sobre ela...em inglês...e como tudo na vida deles era demasiada verdadeira...ela apareceu e sentou-se ao lado dele com aquela cara angelical e tentou ao máximo espreitar o que ele já tinha escrito, mas ele limitou-se a sorrir e a esconder a folha...
Passado uns minutos já tinha tudo feito...mostrou-lhe

i want to be with you...
you are everything i can ask for
i mean...it's you...you know...?
i can't imagine myself without your smell,
without your kiss, without your eyes, without your tongue...
you are the most beautifull piece of human life i could wish for
and i want to love you and give you everything you need
i want to see you fall asleep, i want to wake up next to you
i want to touch your hair, your body
i want to hear you scream my name, telling me you want more..
be with me
http://soundcloud.com/miguel-k/nirvana-come-as-you-are-rafael
;)

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Pesadelo

De repente encontrava-se num sítio que lhe parecia familiar...tudo à sua volta parecia já lhe ter aparecido diante dos olhos...mas quando? Ele sabia que era isso o que sentia, mas não fazia a mínima ideia de onde conhecia aquele campo carregado do verde das milhares de plantas que cobriam o que parecia o imenso jardim de uma quinta linda...enquanto dava passos infinitos para a frente sentia a brisa que o carregava de bom-humor, dava um passo em frente e ouvia as folhas das árvores a brincarem umas com as outras...era tão familiar...um déjà vú?
À medida que avançava conseguia distinguir, ao longe, um carvalho gigantesco...e na sua sombra estavam dois vultos que àquela distância eram apenas duas pessoas a tentar esconder-se do sol abrasador daquele dia de Verão...avançou mais um pouco.
O jardim era gigantesco.
Se olhasse para o lado esquerdo via o celeiro daquela enorme quinta e que lhe era tão familiar, ao lado estava a casa magnífica e andrajosa que dava a toda aquela paisagem um toque de beleza brutal...o resto era um jardim infindável, adornado com árvores de todos os tipos, flores de todas as cores...e aqueles dois ali à frente...continuou.
Quando ficou a míseros metros dos vultos soltou-se uma expressão de puro terror pela sua face...era ele que ali estava, ele e a sua namorada...

...
..
.
.
..
...
a história deles bem que podia dar um filme...o estilo do filme que venha o diabo e escolha...
Conheceram-se nas férias de Verão...ele era o típico engatatão e ela a menina que fingia ser a pessoa mais tímida do mundo...o par perfeito ;)
Ele tinha uma quinta grande, majestosa, e embora pudesse parecer não era uma pessoa muito rica...não foi por isso que ela se interessou se é que percebem.
Ela era linda e tinha olhos verdes, e uma franja que lhe caía sobre os olhos lindos (e quando ela soprava para a afastar ele adorava :), tinha uns lábios lindos...
Um dia, numa tarde igual àquela que ele estava a viver naquele momento sabia lá bem ele como, houve um problema...enquanto estavam os dois debaixo de um carvalho gigantesco começaram a sentir um cheiro a queimado, e quando olharam para o celeiro viram que este deitava fumo por todo lado...! Ele apressou-se a correr para tentar fazer algo! Ela levantou-se atrás dele e começou a correr também! ... quando chegaram ao celeiro ele abriu o enorme portão, e o fumo aumentou muito de repente...não se via nada no interior mas mesmo assim ele entrou para tentar fazer alguma coisa...o calor era insuportável...ela foi atrás dele...a única coisa de que ele se lembrava era de vê-la a correr para ele e de repente...tudo ficou preto...tudo ficou em silêncio...

.
..
...
..
.
Ele parecia que tinha acordado de um sonho distante...mas estava ali...a ver-se a ele próprio...e a ela...debaixo do carvalho gigante...de repente ele e ela pararam de se beijar e começaram a cheirar o ar que os rodeava...depois olharam para um sítio e as caras ficaram completamente petrificadas...ele seguiu-lhes o olhar e viu que estavam colocados no celeiro que deitava fumo...ele engoliu em seco e virou-se para eles...ele já corria desenfreado e ela acabara de se levantar..."NÃO!!" gritou ele à medida que via ele e ela a afastarem-se pelo jardim gigantesco...mas a voz não saia da sua boca...começou a correr atrás deles...
Chegou ao celeiro e ele e ela já tinham entrado...ele entrou também...passado um pouco houve um desabamento...passado um bocado ficou tudo preto...passado um bocado tudo ficou em silêncio...

...

De repente encontrava-se num sítio que lhe parecia familiar...tudo à sua volta parecia já lhe ter aparecido diante dos olhos...mas quando? Ele sabia que era isso o que sentia, mas não fazia a mínima ideia de onde conhecia aquele campo carregado do verde das milhares de plantas que cobriam o que parecia o imenso jardim de uma quinta linda...

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

10 9 8 7 6 5 4 3 2 1 Feliz 2012

Ela morreu ontem à noite, quando o frio ainda era forte ao ponto de congelar tudo em segundos. Havia qualquer coisa diferente no ar, de certeza que quem estivesse habituado a olhar pela janela toda a noite como eu se aperceberia disso...não é fácil de explicar e eu não o consigo fazer mas ontem a noite foi de uma diferença tal que dei por mim muitas vezes a engolir em seco..
Quando na verdade as coisas são muito mais difíceis do que as pessoas pensam...de certeza que se eu tivesse corrido até ao fim da rua e tivesse entrado na casa dela e lhe dissesse que ela valia mais do que pensava valer...ainda hoje a tinha ao meu lado, sempre pronta a rir-se das minhas piadas que a faziam esquecer por momentos a bela vida de merda que tinha.
Conheci o que queria conhecer dela e a realidade é que estava mais do que pronto para continuar a conhecer...mas agora vejo que é tarde demais...queria mas não posso, habitua-te a isso e pronto.
Só me custa pensar nas merdas que lhe posso ter dito, nas vezes em que a mandei abaixo...e embora saiba que fiz tudo isso inconscientemente penso sempre que poderia ter-lhe dado um abraço ou um beijinho ou uma frase de eterna compaixão.
Segura no que resta de vida à tua volta e dá graças a Deus, aos anjos, ao presidente da república...a alguém que sintas que te dá a força necessária para continuar a lutar por alguma coisa decente e que aches que faça todo o sentido neste momento.
Por exemplo, eu gosto muito de uma pessoa, mas eu nunca terei a certeza do que devo fazer, não sei se chego ao pé dela e começo a falar de merdas que não têm sentido quando no fundo eu quero é beijá-la...mas falo e falo e ela também vai falando e falando...e eu nunca saberei se o melhor era dar-lhe um beijo e puxá-la para mim e dizer que queria fazer aquilo há já algum tempo...nunca saberei se era isso que aconteceria ou se levaria um estalo porque não tenho os colhões para o fazer...espero sempre que se fizer isso vou levar uma chapada na cara...penso sempre que se fizer o que QUERO fazer vou levar na certa uma puta de uma nega que nunca mais sou o mesmo, mas a verdade é que eu já não o mesmo que era antigamente...e muito disso devo a todas as raparigas que amei e que me amaram, e quando penso que devia ter-lhe dito aquilo, ou que devia ter feito aquilo, ou que não devia pensar naquilo...acho que valia mais a pena levar com uma chapada fria e estúpida do que vir para casa e pensar naquilo a noite toda, para depois voltar a pensar na manhã seguinte...
E o que eu quero dizer é que não tenho a coragem necessária para chegar ao pé dessa pessoa que eu sempre quis beijar e que nunca consegui...a única coisa que eu queria era saber o porquê de eu não conseguir fazer isso...apenas isso...
Eu posso até nem ser muito giro mas não me considero horrível, embora talvez o possa ser comparado a "obras primas" que andam a passear pelas ruas...? não sei...eu só queria poder passar por aquilo que eu queria passar...e que isso não durasse minutos...queria poder dizer a muitas pessoas que deixei para trás que gostava delas e que eram o que eu queria que fossem...mas muitas são as vezes em que dou por mim a andar a rabiscar desenhos e letras de músicas que me fazem instantaneamente lembrar daquela rapariga, ou daquela situação...que posteriormente me fazem lembrar daquilo que aconteceu...que me fazem pensar no que poderia ter acontecido.
Muitas meninas pensam que eu sou demasiado romântico e que escrevo poemas e textos e cenas fofinhas...mas eu estou farto de o ser...se por o ser não consigo o que quero ou não digo o que quero porque tenho os meus ideais? então esqueçam...eu não sou romântico...
Muitas meninas pensam que eu sou demasiado cómico e que as faço rir e que mando o bem-estar delas para o ar com uma rapidez impressionante...peço desculpa...não, a sério! peço desculpa! porque...bem...isso tem de ser uma coisa má, não? é que mesmo sendo demasiado romântico e demasiado cómico e ainda ser uma beca inteligente e cantar e tocar guitarra e escrever poemas e saber ouvir...bem...mesmo assim preferem os que não têm nenhuma destas qualidades e que vos faltam ao respeito...mas espera aí...vocês gostam disto...ou seja....há alguma cena que tem de estar mal nisto tudo...as mulheres são sadomasoquistas? ah...então assim já nos entendemos melhor...porque é isso que são...ou...ou não? mau...
Então mas não é verdade? não preferem um rapaz que vos meta abaixo de vez em quando? daqueles que usa brinquinho e piercing e fume erva e de vez em quando vos mande uma mensagem só para pronto...é isso né? digam-me que sim senão eu até me sinto mal ..
se houvesse uma cadeia alimentar no que respeita às relações (que há mas pronto) eu definitivamente estaria na última posição...porque ao que parece sou exactamente o que uma rapariga não quer...certo? sou inteligente, tenho um bom sentido de humor, sei ouvir...tudo características que não ajudam a uma relação na verdade...o que ajuda é definitivamente o ser todo bom, giro, parvalhão e cagar completamente para o que está à sua frente...tudo coisas que eu, peço imensa desculpa (inclusive a mim), mas não sou...
mas um gajo cá vai esquecendo essas merdas, não é verdade? vai tentando e quando vires a tua pessoa a ser comida por um otário limita-te a esquecer e a seguir e a rasgar as cenas que já chegaste a escrever sobre ela :)

poema do magro apaixonado

gosto de ti mas tu gostas de gajos mais fortes que eu :/
eu posso ir para o ginásio se quiseres :) e fico forte :)
a nossa cena até foi bem fixe :) e ainda nem sei porque morreu ..
talvez...se eu vier mais musculado do ginásio tenha mais sorte :)

eu até ia cantando e tocando guitarra para ti :)
e tu ias sorrindo e cantando o refrão comigo (:
mas as canções foram esquecidas por mim
e por ti, e às vezes até pareciam não ter sentido ..

e agora somos capazes de nos ver na rua
e de olhar para o outro lado, mas então
e a vida seguiu? a paixão? bem, cada um tem a sua ..
mas tu continuas a ser o pedaço de vida humana mais lindo que passou pelos meus lábios e que quando me lembro de sentir o que senti ainda me arrepio e penso se dava um segundo perdido da minha vida para te ter nos braçoes outra vez